19 de agosto de 2014

Não se pode explicar bem o dia e como aconteceu.
Nas vésperas das madrugadas sofre em alguma parte, de algum silêncio.
Na mesa redonda de vidro sempre há xícaras de café quente e um buraco infinito
donde dá pra ver tudo que um cadeado nunca conseguiu trancar, e vive á mostra, mesmo sem foco por conta da fumaça do cigarro e a visão estragada pela cachaça.

2 comentários: